sábado, 5 de março de 2011

Julgue sempre.

Ando tendo alguns problemas quando argumento algo sobre a excomunhões ou sobre a reta doutrina, ou mesmo sobre o homossexualismo ou aborto, no sentido de me jogarem na cara que sou religioso e Cristo afirmou que não devemos julgar para não sermos julgados.

Primeiramente vamos só entender uma coisa: posso e devo julgar corretamente. O que não posso fazer é julgar assoberbadamente como alguns (quase todos) fazem ao comentar ou mesmo argumentar por aqui.

Se não pudermos julgar o que é bom ou ruim, melhor que sejamos como os puritanos que tem listinhas de certo e errado, coisa que para o Católico é simplesmente absurda.


Mas para não jogar palavras ao vento, procuro me fundamentar:

"Não sereis injustos em vossos juízos: não favorecerás o pobre nem terás complacência com o grande; mas segundo a justiça julgarás o teu próximo" (Lv XIX, 15).

"(54) Dizia ainda ao povo: Quando vedes levantar-se uma nuvem no poente, logo dizeis: Aí vem chuva. E assim sucede. (55) Quando vedes soprar o vento do sul, dizeis: Haverá calor. E assim acontece. (56) Hipócritas! Sabeis distinguir os aspectos do céu e da terra; como, pois, não sabeis reconhecer o tempo presente? (57) Por que também não julgais por vós mesmos o que é justo?" (Lc XII, 54-57).

"(13) Estava próxima a Páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. (14) Encontrou no templo os negociantes de bois, ovelhas e pombas, e mesas dos trocadores de moedas. (15) Fez ele um chicote de cordas, expulsou todos do templo, como também as ovelhas e os bois, espalhou pelo chão o dinheiro dos trocadores e derrubou as mesas" (Jo II, 13-15).

"De mim mesmo não posso fazer coisa alguma. Julgo como ouço; e o meu julgamento é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou" (Jo V, 30).

"Não julgueis pelas aparências, mas julgai com reto juízo" (Jo VII, 24).

"(10)Porque há ainda muitos desobedientes, vãos faladores e sedutores, principalmente entre os da circuncisão, (11) aos quais é necessário fechar a boca, a eles que transtornam famílias inteiras, ensinando o que não convém, por amor de um vil interesse. (12) Um dentre eles, o profeta deles disse: Os cretenses são sempre mentirosos, feras selvagens, glutões preguiçosos. (13) Esta asserção reflete -- repele -- a verdade. Portanto, repreende-os severamente, para que se mantenham sãos na fé, (14) e não dêem ouvidos a fábulas judaicas nem a preceitos de homens que se afastam da verdade" (Tito, I, 10-14).

5 comentários:

Luciene disse...

Muito bom. Confesso que não tinha lido nada na Bíblia a esse respeito. Agora entendi melhor sobre julgar ou não julgar. Você mostrou essa postagem para essas pessoas que não aceitam os seus argumentos? Seria bom. Quanto mais conhecimento melhor as nossas atitudes.

Juliana F. Ribeiro Lima disse...

Só um adendo: puritanos (e eu fui protestante e vivi entre pessoas que admiram os puritanos) não tem listas de certo e errado não...

Emanuel Jr. disse...

Juliana.

Quando dissemos que tem "listinhas" de certo e errado, não queremos dizer, como não dissemos, que havia um livro oficial enumerando o que é e o que não é pecado. O que dissemos foi que o puritano tem essa lista em sua vida, usando as coisas e atitudes como se fossem pecado de forma fixa para cada pessoa, independentemente de suas condições, história, conhecimento e necessidades dentre outras coisas. Espero ter me feito entender.

Anônimo disse...

Juliana F. Ribeiro Lima

Ok. Não tem lista do que é certo ou errado. Mas me diga. Essa sua afirmação está certa ou errada????

Emanuel Jr. disse...

Juliana.

Principiologicamente está certa. Agora depende de você me falar se entende que o catolicismo é principiológico ou não.